Por que as gigantes da tecnologia estão apostando cada vez mais em energias renováveis?

a-maior-usina-solar-do-mundo

Já é rotina ver notícias sobre grandes empresas de tecnologia investindo no setor de energias renováveis, mas de onde vem tal fenômeno?

Em 2014 a Google fez uma parceria junto com a empresa SunPower para criar um fundo de 250 milhões de dólares para a compra de painéis solares para o uso doméstico. Com isso, a empresa soma quase 1 bilhão de dólares já investidos em energias renováveis. A Google também fez um acordo com a MidAmerican Energy buscando 407 megawatts para alimentar seus centros de dados.

A Apple, por sua vez, tem 93% de suas instalações sendo alimentadas por algum tipo de energia renovável. A empresa também está construindo uma usina solar de 200 megawatts na China, com um primeiro projeto de 170 megawatts na Mongólia Interior. O projeto está sendo feito em parceria com a empresa First Solar e tem valor estimado em 850 milhões de dólares. A gigante já possui uma usina solar em atividade na Califórnia.

Outra famosa empresa de tecnologia, que tem seu maior foco em carros elétricos, a Tesla Motors, já é famosa por seus empreendimentos na corrida para o uso de energia limpa. Os carros elétricos da marca já falam por si só. Recentemente, Elon Musk, CEO da Tesla, anunciou seu novo investimento em energia solar. Seu projeto visa a fabricação de telhas que geram energia solar, garantido autonomia nas casas além de oferecer um custo bem menor do que o aplicado no mercado. O anúncio foi feito veio após a empresa comprar a Solar City.

Junta também na corrida por energia limpa, a Amazon completará em 2017 mais uma usina eólica, fazendo com que 100% de sua empresa, incluindo seus data bases, sejam alimentados com energia renovável. O empreendimento vem da Amazon Wind Farm Texas, que construirá o novo parque eólico de 253 megawatts que se tornará o maior projeto de energia eólica da empresa até então.

Mas o que querem as gigantes do vale do silício com esse investimento em energias renováveis?

As gigantes do vale gastam anualmente muito dinheiro para manter seus servidores ativos ininterruptamente. O maior custo é com o sistema de refrigeração que atualmente é tão caro que fez com que várias companhias mudassem seus servidores para lugares mais frios para diminuir o gasto com eletricidade, como por exemplo Facebook, que implementou um data center no meio do gelo da Suécia. Segundo o site do ehow, apenas um servidor pode consumir cerca de 7,446 kWh em um ano, resultando em um gasto de cerca de US$ 731,94 levando em conta o preço médio mundial por kWh. Um número bastante elevado para empresas que possuem milhares desses servidores.

A Tesla por sua vez pode ser considerada a empresa mais promissora no ramo de energia limpa. A tecnologia demasiadamente avançada dos seus carros elétricos, estes podendo chegar a ter uma autonomia de 400 km por recarga, podem ter um upgrade interessante quando o sistema de carregamento dos carros forem interligados as telhas solares, proporcionando autonomia total com 100% de energia limpa. Intenção essa corroborada por Elon Musk.

Tornar sistemas independentes atrai empresas de tecnologia. Essa autonomia traz benefícios a médio e longo prazo, seja em questão de marketing, levando em conta a popularização de energias renováveis, pelo apelo dos seus clientes por maior autonomia ou pelo barateamento dos custos com energia. Leva-se em conta que com o mercado de energias renováveis crescente o lucro posterior pela venda de excedentes de energia em suas instalações e usinas é um grande atrativo para as empresas que apostarem no mercado. O tempo de payback, ou seja, o tempo de retorno de investimento, está cada vez mais baixo. Além do tempo de lucro ter reduzido, o valor por megawatt hora vendido só aumenta. No ano de 2016, no Brasil, a ANEEL chegou a pagar R$ 223 por megawatt hora para usinas eólicas, valor competitivo no mercado brasileiro. Esses índices fomentam o interesse de novos investidores, fazendo crescer ainda mais.

 O que as pessoas ganham com isso?

Com os olhares da população mundial cada vez mais críticos, o pensamento ecológico de interesse as energias 100% renováveis só tem a ganhar com todo esse investimento. O aumento das políticas internas e externas a favor desse interesse mutuo cresce de forma exponencial e muito atrativa. As políticas de incentivo com subsídios, principalmente para geração distribuída (geração de energia residencial), é demasiadamente importante, tanto econômica quando ecologicamente.

Tudo isso se trata de um pensamento no futuro, e não é de se espantar que as gigantes da tecnologia tenham visto o potencial que isso traria para suas companhias e para o mundo. Assim, partimos para uma era de autossustentabilidade, onde a utopia da geração com o mínimo impacto ambiental começa a florescer.

Fontes:

Parceria Google e SunPower: https://goo.gl/pMdkvX
Usinas Apple: https://goo.gl/YE76f5
Telhados solares da Tesla Motors: https://goo.gl/FLC7Vg
Usinas Eólicas da Amazon: https://goo.gl/ZB2C6y
Gasto de Energia Servidores: https://goo.gl/Xp08kB
Leilão ANEEL: https://goo.gl/GEiMkQ
Viabilidade Usinas eólicas: https://goo.gl/MQIqk8

Anúncios

Um comentário sobre “Por que as gigantes da tecnologia estão apostando cada vez mais em energias renováveis?

  1. Pingback: Google quer usar 100% de energias renováveis em 2017 | ENERGIA MAIS VERDE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s